domingo, 3 de agosto de 2014


Quero rogar-te meus desejos mais insanos
e que ninguém possa plagiar a nossa felicidade
Quero que nosso silêncio grite
e atravesse o vácuo da nossa falta
Quero seu colo, ainda que no escuro
e poder poetizar os seus beijos
Quero enfeitar seus dias com as minhas lágrimas
e dedicar-te a minha tristeza mais profunda
Para que nossa intimidade vire célula
e pele, e dente, e corpo, e alma!
Que, enfim, eu possa dizer-te
em um abraço
baixinho
que sou, lucidamente, transbordante em ti!
E, sendo teu, esse corpo pulsante em suas mãos,
reconhece que é vício, e mister, e belo, e fato, tu seres só meu.

(Regiane Raquel)